As minhas compras
O seu cesto está vazio.
Adicione produtos ao seu cesto.
Os meus favoritos
Não perca os seus favoritos!
para guardá-los e gerir diferentes listas.
(0 artigos)
A lista de produtos favoritos está vazia.
Adicione produtos aos seus favoritos.
Grupos de pressão e Política Externa - O lóbi de Israel e a política Americana para o Médio Oriente. Iraque, uma vítima preventiva. Irão, o alvo da vez
Favorito
Grupos de pressão e Política Externa - O lóbi de Israel e a política Americana para o Médio Oriente. Iraque, uma vítima preventiva. Irão, o alvo da vez
Papel
16,00
ComprarComprar
Ebook
5,00
ComprarComprar

Detalhe
Editora:
Lisbon International Press
Data de publicação:
2021-04-06
Páginas:
266
ISBN:
978-989-37-0554-4
Género:
LISBON PRESS
Idioma:
PT
Sinopse

“Sempre que fizemos algo, vocês me dizem que América fará isto, América fará aquilo... Quero dizer-vos algo muito claro: não se preocupem com a pressão americana sobre Israel. Nós, os judeus, controlamos a América e os americanos sabem disso.”

(Ariel Sharon, 2001)

“Sei o que é América. América é algo que se pode mover muito facilmente. Mo­ver na direção certa.”

(Benjamin Netanyahu, 2001)

“O objetivo é sempre levar ao conhecimento dos nossos eleitos que nós apoia­mos Israel e, se alguém o confrontar maliciosamente, faríamos tudo ao nosso alcance, de modo a garantir que fosse o seu último mandato”

(Pastor John Hagee, 2007)

“Um poderoso fator, especialmente na arena política, é a dominante influência do American Israel Public Affair Committee (AIPAC), que legalmente exerce o seu propósito de defender as políticas dos mais conservadores governos de Israel, encontrando elevado apoio no nosso país. Sob a pressão do AIPAC, exis­tem poucas vozes opositoras significantes na arena pública, e qualquer debate equilibrado é ainda inexistente no Congresso Americano ou entre a expectativa presidencial”

(Jimmy Carter, 2006)

“ O centralismo judaico é a perspetiva que guia a organizada minoria activa que lidera as maiores organizações sionistas e seus adeptos bilionários. São eles que determinam que bens militares podem os E.U.A vender aos Estados Árabes, bem como que tecnologia devem os E.U.A fornecer à Israel. Os “promotores de Israel”, já não têm de mobilizar o Congresso nem a Administração - estão automaticamente pré-programados a trabalhar para Israel”

(James Petras, 2008)

Leituras semelhantes
Da válvula ao pixel - A revolução do streaming
Favorito
Da válvula ao pixel - A revolução do streaming
Edvaldo Silva
11,00
Legalização da Maconha - Fundamentos de um novo pensamento
Favorito
Legalização da Maconha - Fundamentos de um novo pensamento
Zeca de Medeiros
14,00
Angola: Entre a Mentira e a Vergonha
Favorito
Angola: Entre a Mentira e a Vergonha
Lupi Fialho
20,00
Língua italiana em estudo
Favorito
Língua italiana em estudo
Albino Sequeira e Rafael Sozzi
14,00
Como Gente Grande
Favorito
Como Gente Grande
Isabel Ferreira
17,00
R. Um mundo por descobrir
Favorito
R. Um mundo por descobrir
Ana Maria Abreu
15,00
A reforma trabalhista e suas implicações sociais e jurídicas para os trabalhadores brasileiros
Favorito
A reforma trabalhista e suas implicações sociais e jurídicas para os trabalhadores brasileiros
Jose Juscelino Ferreira de Medeiros e Arnaldo Donizetti Dantas
12,00
CÓDIGO PENAL ANGOLANO - Novo
Favorito
CÓDIGO PENAL ANGOLANO - Novo
Délcio Vieira Coimbra
14,00
Senhor! Cumpriu-se Portugal
Favorito
Senhor! Cumpriu-se Portugal
Amaro C. Pereira
16,00
Gestão Estratégica - As Metáforas da Liderança - Pensar, Agir e Comunicar
Favorito
Gestão Estratégica - As Metáforas da Liderança - Pensar, Agir e Comunicar
(n/d)
14,00
A saga de Theodore Roosevelt
Favorito
A saga de Theodore Roosevelt
Luiz Augusto Módolo de Paula
20,00
Um interesse local autónomo – O sistema de governo municipal português
Favorito
Um interesse local autónomo – O sistema de governo municipal português
João Paulo Zbyszewski
24,00
Pague de forma seguraPague de forma segura:
Receba em primeira mão
As nossas ofertas e novidades literárias